Ficha Técnica

Criação: Talita Cabral

Atores/cantores: Talita Cabral,

Rodrigo Régis e Gabriel Ivanoff
Figurinos e adereços: 

a Cia e Iêda Rodrigues​

 

Três amigos se divertem em meio à cidade relembrando antigos causos e modas de viola.
Canções populares caipiras são parte fundamental desta intervenção, outras foram criadas pela própria Cia. Pescadores e suas histórias, beatas, casamenteiras, contador de histórias, assombração de cemitério, são apenas alguns dos personagens que esse trio revive com muita alegria e irreverência.
Violão, viola, bumbo, são apenas alguns dos elementos resgatados de nossa cultura regional. A Cia não busca trazer o caipira “clichê”, mas sim, três personagens que brincam com suas lembranças e as dividem com o público, trazendo o universo simples do mato e a grande musicalidade.
O público passa a fazer parte deste cortejo musical sorteando causos guardados no chapéu de um dos personagens, integrando rodas de causos e modinhas caipiras, passando a encenar esses causos junto aos três amigos.
O regionalismo é uma das fortes características de nosso país, seja ele o maracatu, o bumba-meu-boi, a catira, o cacuriá, danças gaúchas, samba de roda, e por vezes o não menos importante, simples universo rural  e suas riquezas.
Esse precioso “tesouro” é trazido pela Cia Navega Jangada de Teatro como uma grande homenagem a este povo, sua cultura, seus poetas e compositores.

Velhas violas, Novas Lembranças
Sinopse